domingo, 17 de abril de 2011

VERRUGAS E SIMPATIAS

Regina, na chácara Shamballa, em 15.04.2011.
Em torno de nove anos de idade, começaram a surgir verrugas em meus dedos. A princípio não dei importância, mas elas eram muitas e começaram a crescer bastante, me incomodando deveras! Papai era homeopata convicto e consultando o seu livro guia, preparou uma solução à base de Thuia, que eu ingeria algumas vezes ao dia, visando à extinção das benditas verrugas.

Tuia é uma espécie de pinheiro.
Mas a minha lua ariana não tinha paciência para esperar o efeito da homeopatia. Devido a minha ansiedade, eles consultaram conhecidos e vieram com a novidade. Existia uma simpatia infalível para provocar a queda espontânea das verrugas. Eu devia passar seiva de abóbora verde sobre cada uma, massageando-as cuidadosamente. Então, ao ouvir o canto das seriemas, devia imitar o som, repetindo-o por três vezes,mentalizando o desaparecimento das verrugas. Perto de nossa casa de esquina, na Rua Cinco, havia a casa da família Flores. Eles tinham essas aves lá que costumavam cantar pela manhã! Eu fiz isso com fé muitas vezes, até desistir

Meu pai, José Araújo, na década de
cinquenta do século passado.
Bem mais tarde, as verrugas caíram mesmo! Nunca saberei se elas cairiam logo, se eu não tivesse me empenhado tanto nisso! Afinal, além da fé, da torcida, da vontade, da simpatia, do tempo, elas foram regadas com seiva da abóbora e meu organismo assimilou o remédio homeopático por algum tempo...

 Certamente, a Thuia deve ter contribuído para ajudar o meu organismo a livrar-se das famigeradas verrugas! Pois, eu herdei a crença homeopática de meu pai e acabei me tornando também uma terapeuta em florais do cerrado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário